Assista videos sobre irisdiagnose

Loading...

sexta-feira, 12 de outubro de 2007

Embriologia e iridologia: Como se formam os órgãos do corpo?



Embriologia é a ciência que estuda a origem e o desenvolvimento de um organismo individual. Os Drs. Jensen e Donald Bodeen têm demonstrado como a estrutura do embrião humano harmoniza com o explanado no mapa iridológico. As estruturas embriológicas humanas dos órgãos e partes do corpo se originam e se desenvolvem a partir da união germinativa básica, que dá origem a todos os tecidos. Após a fertilização, a fusão dos gametas masculino e feminino, o ovócito fecundado se duplica em duas células. Este processo de duplicação continua até uma fase onde existem de 12 a 16 células, que se agregam formando a mórula que deverá atingir a cavidade uterina num tempo de 12 a 60 horas após a fecundação. Em seguida, devido ao fato do líquido existente na cavidade interna passar para o interior da mórula, esta transforma-se num blastócito, ocasionando o surgimento de uma cavidade única e o desaparecimento de algumas estruturas. (BATELLO, 1999).

Durante a segunda semana de gestação, o blastócito implanta-se na mucosa uterina interna, sofrendo mais algumas modificações, que irão dar origem ao ectoderma, endoderma e mesoderma (folhetos embrionários). Da 4ª a 8ª semana de desenvolvimento, tem-se o chamado período embrionário; a partir daí inicia-se o período fetal. A forma do embrião modifica-se consideravelmente, atingindo, no fim do segundo mês, as principais características externas reconhecíveis. Nesta fase, cada umas das camadas germinativas segue o seu processo de diferenciação, dando origem a vários tecidos e órgãos específicos e ao fim desta etapa todos os sistemas são estabelecidos:

O ectoderma da origem ao Sistema Nervoso Central e periférico e ao epitélio sensorial dos órgãos sensitivos. Aí aparece um outro derivado ectodérmico, o placódio óptico, proveniente da estrutura que forma o cérebro anterior e desta forma o olho é uma extensão do cérebro. Outras estruturas também derivam do ectoderma: a epiderme (pele e glândulas subcutâneas); a hipófise, o esmalte do dente e o revestimento de uma série de órgãos, o cristalino, a retina, a medula da supra-renal. (BATELLO, 1999).

O mesoderma dá origem à derme, aos músculos, tecido conectivo, ossos, cartilagens, articulações, coração e vasos sangüíneos e linfáticos, membranas serosas,
rins, gônadas, ductos correspondentes, porção cortical da glândula supra renal, baço e tecidos musculares liso e estriado. ( BATELLO, 1999).

O endoderma dá origem ao trato gastrointestinal, revestimento epitelial do aparelho respiratório, da cavidade timpânica e da tuba auditiva, da bexiga e da uretra; ao parênquima das tonsilas, à tireóide, a paratireóide, timo, fígado, vesícula biliar e pâncreas, isto é, tubo digestivo e seus derivados, sistema urogenital e ouvido. (BATELLO, 1999).

Pode-se verificar que todos os tecidos e órgãos provêm destes 3 folhetos embrionários e o que chama mais atenção é a inter-relação que o endoderma possui com todos os demais órgãos e sistemas, principalmente com o ectoderma, formando um verdadeiro arco reflexo, onde diferentes órgãos mantém uma relação com determinadas áreas intestinais, devido a esta origem de inter-relação embriológica. Sabe-se, também, que a inervação dos intestinos provém do ectoderma e os vasos sangüíneos do intestino provém do mesoderma, o que demonstra ainda mais a relação que o mesmo mantém com o restante do organismo. Segundo Jensen, o tubo digestivo mantém uma inter-relação singular entre os três folhetos embrionários, fato que permite a existência de um verdadeiro arco reflexo proveniente do intestino. (BATELLO, 1999).

Um comentário:

Anônimo disse...

necessario verificar:)

Mapa Iridológico

Mapa Iridológico
Mapa iridológico com base na ectoderme, mesoderme e endoderme

Cadastre seu email e receba nossos boletins

Digite seu e-mail:

Delivered by FeedBurner

Google